Real Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça

Sendo uma das primeiras fundações monásticas cistercienses em Portugal, o Mosteiro de Alcobaça tornou-se na principal casa desta Ordem religiosa, graças a uma constante proteção por parte dos reis portugueses, começada pelo primeiro, D. Afonso Henriques. As dependências medievais ainda presentes fazem do Mosteiro de Alcobaça um conjunto único no mundo. A estas juntaram-se depois novas construções dos séculos XVI e XVIII, testemunhado a evolução da arquitetura portuguesa.

Considerada a mais bela igreja gótica da Ordem de Cister na Europa, foi também considerada Património mundial da Humanidade pela UNESCO. A igreja foi construída na Idade Média e é a primeira e maior com estilo gótico primitivo.

A importância do Mosteiro de Alcobaça evoluiu cultural, religioso e ideologicamente de forma progressiva. A sua monumentalidade é evidente, tal como é límpida e austera a sua arquitetura. Trata-se da primeira tentativa de arquitetura gótica em Portugal, tendo ficado sem continuação e não foi reproduzido a não ser muito mais tarde, funcionando como um polo quase isolado, uma joia branca na paisagem.

Se optar por ir ver este belo Mosteiro, não deixe de visitar o impressionante conjunto de dependências medievais, das quais se destacam o Refeitório, o Dormitório e a Sala do Capítulo, assim como o Claustro de D. Dinis, a surpreendente Cozinha e a Sala dos Reis.

O Mosteiro de Alcobaça, também conhecido como Real Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça (nome oficial na Congregação de Alcobaça), fica situado em Alcobaça, no distrito de Leiria, região centro do País.

Foi a primeira obra plenamente gótica erguida em solo português, e a sua construção começou em 1178 pelos montes da Ordem de Cister.

Em 1910 foi classificado como Monumento nacional, em 1989 Património da Humanidade pela UNESCO e em 2007 foi eleito uma das Sete Maravilhas de Portugal.